09/10/2020

Mercado do Peixe reabre sob gestão de cooperativa de piscicultores da agricultura familiar

Noticía Agricultura
compartilhar

Limpeza de pescado no Mercado do Peixe – Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

 

O Mercado do Peixe reabrirá as portas nesta sexta-feira (9) sob a gestão da Coopindaiá (Cooperativa Mista da Agricultura Familiar, do Meio Ambiente e da Cultura do Brasil). Em solenidade simbólica, a Secretaria de Agricultura vai passar o mercado à cooperativa de agricultores familiares, que será responsável por gerir e operacionalizar a Unidade de Processamento e Comercialização de Pescado.

 

Emater-DF orienta produtores a como produzir mais peixes com menor custo
Tecnologia permite produzir até 30 vezes mais peixes usando menos água e ração
Produtor do Lago Norte testa aquaponia em sistema sustentável de larga escala

 

A perspectiva é a de que a nova gestão fortaleça a produção de peixes na capital, uma vez que piscicultores associados à cooperativa passarão a comercializar espécies de pescado de criatórios cultivados por agricultores do Distrito Federal e Entorno. O consumidor também terá a oportunidade de comprar peixes frescos e de qualidade, com preços justos.

 

O secretário de Agricultura do Distrito Federal (Seagri-DF), Candido Teles, ressaltou a importância de fazer entregas para a população, principalmente quando gera renda e emprego para muitas famílias, e disse que o Mercado de Peixes vai ser mais uma opção para os consumidores comprarem peixe de qualidade direto do produtor.

 

Peixes à venda no Mercado do Peixe – Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

 

“É um dia alegre. Nós fizemos um chamamento público e a Coopindaiá foi a vencedora. Esperamos que com a abertura do Mercado do Peixe haja um incremento na produção local e regional de pescados, gerando emprego e distribuindo renda. Nós esperamos que o consumidor possa ter disponível, no centro de Brasília, peixes de boa qualidade e que possam realmente fomentar toda essa cadeia produtiva”, afirmou.

 

A entidade selecionada fará a gestão e operacionalização da estrutura e bens que compõem o Mercado do Peixe, em regime de mútua cooperação com a Seagri. Em dezembro de 2019, a Secretaria de Agricultura lançou edital para a seleção de uma cooperativa para gerir o local. A Coopindaiá foi a vencedora do processo.

 

Para a presidente da Emater-DF, Denise Fonseca, a reabertura do mercado proporcionará maior inclusão dos produtores na rota de comercialização. “Ter um local no centro da cidade como ponto de vendas, onde circulam milhares de potenciais compradores, é um grande incentivo. Não temos dúvidas de que o Mercado do Peixe contribuirá para o aumento do cultivo, como oportunidade de renda aos nossos produtores, e também do consumo de peixes na capital, como fonte de alimentação saudável”, destacou.

 

O governador Ibaneis Rocha na reabertura do Mercado do Peixe, em dezembro – Foto: Renato Alves/Agência Brasília

 

O presidente da Ceasa-DF, Onélio Teles, apontou os benefícios da reabertura. “É muito gratificante para a Ceasa abrigar o Mercado do Peixe de Brasília. Com a reinauguração, haverá um incremento na produção local de pescados, gerando renda para os piscicultores e fomentando a economia do Distrito Federal. É interessante ressaltar que  os brasilienses terão mais uma opção de alimentação saudável em um mesmo lugar e por um preço mais baixo. Mais uma vez a população é beneficiada com os programas e ações conjuntas dos órgãos do Governo do Distrito Federal.”

 

O presidente da cooperativa, Luciano Andrade de Carvalho, afirmou que está vendo a oportunidade com boas perspectivas e que a atuação será dentro da legislação.  “Esse canal de vendas será muito importante para os nossos produtores. A gente vai atuar com segurança, vender produto inspecionado, conforme a legislação. Será muito bom poder vender nosso produto competindo com as indústrias de pescados e poder pagar um preço mais justo ao produtor”, ressaltou.

 

Apesar de a área de cultivo de pescados na capital ser pequena, o DF possui grande densidade demográfica de consumidores e produtores de peixe, sendo assim uma região estratégica para o mercado. Brasília é o terceiro maior mercado consumidor do Brasil, perdendo apenas para as cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. Na capital do país, o consumo per capita é de 14 quilos por ano, contra 9,5 quilos da média nacional.

 

Produtores ouvem extensionista da Emater-DF sobre técnica de criação de peixes

 

Em 2018, o Distrito Federal tinha 538 piscicultores, com uma produção total de cerca de 1,5 mil toneladas de pescado. A principal espécie criada no Distrito Federal é a tilápia, seguida do tambaqui e seus híbridos. Atualmente, toda a produção local é consumida no próprio DF. Todos esses dados indicam o alto potencial do mercado local do produto.

 

Fechado desde 2017, o Mercado do Peixe foi reaberto em dezembro do ano passado. O espaço foi reformado durante um conjunto de obras de melhorias na Ceasa. O Mercado do Peixe está localizado ao lado do Mercado Orgânico, na Ceasa-DF, e vai oferecer pescados a um preço acessível, além de dar oportunidade aos piscicultores para apresentarem seus produtos.

 

SERVIÇO

Solenidade de Reinauguração do Mercado do Peixe

Data: 9/10/2020

Horário: 9h

Local: SIA, Trecho 10, Ceasa/DF (atrás do Mercado Orgânico)

Fonte: Emater-DF

NOTÍCIAS RELACIONADAS

2020, o Ano Internacional da Saúde Vegetal

Ministra diz que não vai faltar arroz no país

AGROBRASÍLIA
Feira Internacional dos Cerrados
agrobrasilia@agrobrasilia.com.br
+55 61 3339-6541
+55 61 3339-6542
+55 61 98478-6676
+55 61 99945-0292

Seja expositor


© Copyright 2019 AgroBrasília Todos os direitos reservados         Design Lucivam Queiroz // Frontend webtoyou // Desenvolvimento Agro3w