26/08/2020

Faeg, Seapa e Agrodefesa debatem sanidade dos equídeos

Noticía Agricultura
compartilhar

Representantes da Comissão de Equideocultura da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), debateram em videoconferência  temas relacionados a prevenção, monitoramento e controle de doenças dos equídeos, com foco principal em problemas como Mormo e Anemia Infecciosa Equina (AIE).

A reunião foi proposta pela Faeg, em função principalmente da incidência de doenças que têm causado prejuízos aos criadores de equídeos, principalmente o Mormo, uma zoonose que exige sacrifício dos animais. 

O encontro serviu principalmente para alinhar as medidas que já são executadas pelo Serviço Veterinário Oficial, no caso a Agrodefesa, bem como debater e propor ações de melhoria da sanidade do plantel de equídeos, importante segmento da pecuária goiana, que contribui para movimentar a economia e a área social do Estado. 

Participaram do encontro o secretário Antônio Carlos de Souza Lima Neto; o presidente da Agrodefesa, José Essado; o diretor de Defesa Agropecuária, Sérgio Paulo Coelho; o gerente de Sanidade Animal, Antônio do Amaral Leal; o gerente de Fiscalização Animal, Janilson Azevedo Júnior; o diretor da Faeg, José Caixeta; a presidente da Comissão de Equideocultura da Faeg, Ana Amélia Paulino; e os veterinários Carla Amorim e João Godoi, representantes de um laboratório de análises clínicas.

Temas principais

A necessidade de realização de estudo epidemiológico para Mormo e AIE, número de laboratórios credenciados para Mormo e AIE em Goiás, avaliação do método para eutanásia de animais, necropsia padrão e medidas para combate da raiva dos herbívoros e campanhas de orientação sobre sanidade básica para produtores e trabalhadores rurais foram temas abordados durante a videoconferência. Também houve tratativas sobre a certificação de propriedades livres de AIE Mormo.

O gerente de Sanidade Animal da Agrodefesa, Antônio Leal, informou que a Agência já tem proposta de um projeto de estudo epidemiológico de AIE que deverá ser desenvolvido em conjunto com a Escola de Veterinária e Zootecnia da Universidade Federal de Goiás. Os próximos passos serão o detalhamento do número de propriedades envolvidas, número de animais em cada propriedade e posterior avaliação da prevalência desta enfermidade. Quanto ao Mormo, a situação é mais complexa e exige regulamentação por parte do Ministério da Agricultura.

FONTE: FAEG

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Secretaria de Pesca divulga edital para concessão do Terminal Pesqueiro Público de Cabedelo

Previsão do tempo pode ser importante aliada do produtor rural

AGROBRASÍLIA
Feira Internacional dos Cerrados
agrobrasilia@agrobrasilia.com.br
+55 61 3339-6541
+55 61 3339-6542
+55 61 98478-6676
+55 61 99945-0292

Seja expositor


© Copyright 2019 AgroBrasília Todos os direitos reservados         Design Lucivam Queiroz // Frontend webtoyou // Desenvolvimento Agro3w