26/08/2020

Faeg, Seapa e Agrodefesa debatem sanidade dos equídeos

Noticía Agricultura
compartilhar

Representantes da Comissão de Equideocultura da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), debateram em videoconferência  temas relacionados a prevenção, monitoramento e controle de doenças dos equídeos, com foco principal em problemas como Mormo e Anemia Infecciosa Equina (AIE).

A reunião foi proposta pela Faeg, em função principalmente da incidência de doenças que têm causado prejuízos aos criadores de equídeos, principalmente o Mormo, uma zoonose que exige sacrifício dos animais. 

O encontro serviu principalmente para alinhar as medidas que já são executadas pelo Serviço Veterinário Oficial, no caso a Agrodefesa, bem como debater e propor ações de melhoria da sanidade do plantel de equídeos, importante segmento da pecuária goiana, que contribui para movimentar a economia e a área social do Estado. 

Participaram do encontro o secretário Antônio Carlos de Souza Lima Neto; o presidente da Agrodefesa, José Essado; o diretor de Defesa Agropecuária, Sérgio Paulo Coelho; o gerente de Sanidade Animal, Antônio do Amaral Leal; o gerente de Fiscalização Animal, Janilson Azevedo Júnior; o diretor da Faeg, José Caixeta; a presidente da Comissão de Equideocultura da Faeg, Ana Amélia Paulino; e os veterinários Carla Amorim e João Godoi, representantes de um laboratório de análises clínicas.

Temas principais

A necessidade de realização de estudo epidemiológico para Mormo e AIE, número de laboratórios credenciados para Mormo e AIE em Goiás, avaliação do método para eutanásia de animais, necropsia padrão e medidas para combate da raiva dos herbívoros e campanhas de orientação sobre sanidade básica para produtores e trabalhadores rurais foram temas abordados durante a videoconferência. Também houve tratativas sobre a certificação de propriedades livres de AIE Mormo.

O gerente de Sanidade Animal da Agrodefesa, Antônio Leal, informou que a Agência já tem proposta de um projeto de estudo epidemiológico de AIE que deverá ser desenvolvido em conjunto com a Escola de Veterinária e Zootecnia da Universidade Federal de Goiás. Os próximos passos serão o detalhamento do número de propriedades envolvidas, número de animais em cada propriedade e posterior avaliação da prevalência desta enfermidade. Quanto ao Mormo, a situação é mais complexa e exige regulamentação por parte do Ministério da Agricultura.

FONTE: FAEG

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Secretário de Agricultura realiza visita na área rural de Planaltina e Paranoá

Ministério da Agricultura atualiza zoneamento agrícola para mamona

AGROBRASÍLIA
Feira Internacional dos Cerrados
agrobrasilia@agrobrasilia.com.br
+55 61 3339-6541
+55 61 3339-6542
+55 61 98478-6676
+55 61 99945-0292

Seja expositor


© Copyright 2019 AgroBrasília Todos os direitos reservados         Design Lucivam Queiroz // Frontend webtoyou // Desenvolvimento Agro3w