AgroBrasília 2018 apresentará como a tecnologia está transformando o campo

A tecnologia digital está transformando o agronegócio. A cada dia, as novas tecnologias entram na vida do produtor, modificando a forma de pensar, agir, trabalhar. Transformando paradigmas, tem o poder de oferecer uma nova forma de realização de diversas atividades nas rotinas diárias. No campo, não é diferente.

Em 2018, a AgroBrasília chega a sua 11ª edição. Consolidada como uma das maiores e mais importantes feiras do agronegócio do país, é muito aguardada por produtores rurais, empreendedores do campo, estudantes, empresários e quem atua no setor. Anualmente, leva milhares de pessoas aos 500 mil m² do Parque Tecnológico Ivaldo Cenci e apresenta o potencial da agropecuária da região do Planalto Central.

De olho na importância das inovações e em sua relevância para o agronegócio, a AgroBrasília 2018 terá como tema ‘A tecnologia digital em favor do agronegócio’. Para Leomar Cenci, presidente da Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF), realizadora da Feira, técnicas modernas e inovadoras são essenciais para a efetiva lucratividade no trabalho rural. “A tecnologia, para nós do campo, é fundamental. Investimos pesado para alcançar a alta produtividade”, destaca.

A AgroBrasília, desde sua primeira edição, abre espaço para oportunidades de negócios, acesso a inovações, conhecimento, além de tecnologia. Consolidou-se, ao longo dos anos, como Feira Internacional dos Cerrados, possibilitando um amplo espaço de debates e diálogos, além de oportunidade de realização de negócios e intercâmbio de ideias.

Expectativas a mil

Máquinas altamente tecnificadas, insumos de alta qualidade, pesquisas em genética vegetal e animal, veículos, soluções para a agricultura familiar, o sistema ILPF de produção e implementos agrícolas são alguns dos atrativos da Feira deste ano, além de rotas tecnológicas que permitem ao produtor ver, in loco, as potencialidades da região do Planalto Central.

Grandes eventos também estarão em pauta: é o caso do primeiro encontro de mulheres do agronegócio e do cooperativismo, que reunirá mulheres que fazem parte dos setores. Além disso, um seminário voltado à fruticultura irrigada apresentará o potencial produtivo da região do Planalto Central no que concerne a esse tipo de produção.

Em 2018, serão 440 expositores. Em relação ao público visitante, estima-se que 100 mil pessoas passem pela AgroBrasília durante os cinco dias de evento, gerando um montante de R$ 850 milhões em volume de negócios.

Serviço

O que: AgroBrasília 2018

Onde: Parque Tecnológico Ivaldo Cenci, BR 251, km 05

Quando: de 15 a 19 de maio, de 8h30 às 18h.

Informações à Imprensa: Vincere Associados

Isabella Cantarino / Lydia Costa

Contato: (61) 98347-2500 - (61) 3039-1258 / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

AgroBrasília terá ações voltadas à preservação de nascentes e de mananciais

A agricultura brasileira é considerada a mais avançada do mundo em tecnologias destinadas ao cultivo em áreas tropicais. No entanto, nem as técnicas de ponta seriam eficazes sem o correto uso dos recursos hídricos, essenciais à agricultura desde que ela surgiu.

Em áreas com períodos de estiagem, como o Nordeste ou o Centro-Oeste brasileiro, o gerenciamento correto do uso da água para o cultivo e criação de animais se torna ainda mais essencial. Nesse sentido, a ação mais importante é a preservação de nascentes e de mananciais.

Programas governamentais que recompensam o agricultor por preservar mananciais e, principalmente, nascentes, são importantes porque, ao preservar os recursos hídricos, também são preservadas condições de trabalho, atividades econômicas e o futuro das próximas gerações. Com isso, a sociedade e o meio ambiente são beneficiados.

A preservação da vegetação nativa e ações que evitam a degradação do solo – principalmente que evitam a erosão – são outros benefícios agregados. A preservação das nascentes e dos mananciais também leva à conscientização de que a água é um bem comum, o que diminui e até mesmo evita conflitos pelo uso.

Para José Brilhante Neto, diretor da Federação de Agricultura e Pecuária do Distrito Federal (Fape-DF) houveram avanços em algumas áreas, mas em outras é preciso avançar. “Água gera água; e isso é bom para os agricultores, não só em áreas de preservação permanente ou reserva legal, locais onde a água é bem preservada na região do PAD-DF (localidade onde é realizada a AgroBrasília), mas também em lugares em que ocorre o cultivo, onde ainda falta ações mais eficazes, como o plantio direto e curvas de nível”, explica.

Devido à importância do tema, em 2018, a AgroBrasília terá ações para orientar os produtores rurais a preservar mananciais e nascentes. Esse ano, a Feira Internacional dos Cerrados ocorre entre 15 e 19 de maio. A entrada é franca.

 

Tecnologias de irrigação tornam a agricultura mais eficaz

AgroBrasília apresenta inovações que tornam o cultivo mais pujante

Quem conhece um pouco sobre a história da agricultura sabe que não seria exagero afirmar que ela poderia ser sinônimo de irrigação, pois o plantio e colheita se desenvolveram há milhares de anos com os egípcios – com a ajuda do rio Nilo – e os chineses – com a ajuda do rio Amarelo. Eles usavam as águas desses rios para construir sistemas de irrigação e garantir uma boa safra.

Mesmo os Mesopotâmicos e Sumérios, para muitos, a civilização mais antiga da humanidade, construíram primitivos sistemas de irrigação na região conhecida como crescente fértil, localizada entre os rios Tigre e Eufrates. Graças à irrigação, consolidaram a agricultura e prosperaram.

Após mais de seis mil anos, a irrigação continua primordial à agricultura e as avançadas tecnologias atuais permitem até mesmo o cultivo sem o uso da terra, mas não sem água. Esse sistema é conhecido como hidroponia. Em regiões com longos períodos sem chuva, como o Centro-Oeste brasileiro, o uso de tecnologia para a irrigação se torna ainda mais importante.

A AgroBrasília, Feira Internacional dos Cerrados, promove acesso a novas técnicas que permitem o uso de eficientes sistemas de irrigação. Seja pela exposição de maquinários e equipamentos ou de rotas tecnológicas, os agricultores tem ao alcance tecnologias de irrigação como a aspersão, a microaspersão e o gotejamento.

Para Alécio Maróstica, diretor da Irrigo e presidente do Sindicato Rural de Cristalina-GO, a Feira é cada vez mais imprescindível. “A localização da AgroBrasília é fundamental para a agricultura da região. A qualidade das palestras, equipamentos, máquinas e de toda a tecnologia apresentada fortalece a agricultura do Planalto Central. As inovações apresentadas tornam a agricultura da região, que necessita dessas tecnologias, os cultivos com maiores produtividades. Ano após ano, cresce a importância da AgroBrasília para os agricultores”, ressalta.

Serviço: em 2018, a AgroBrasília completa onze anos e acontece entre 15 e 19 de maio. A entrada é franca.

 

Setor agropecuário foi o de maior crescimento em 2017

Economia cresceu 1%, dos quais, segmento foi responsável por quase ¾

A agricultura novamente é destaque no crescimento econômico do Brasil e foi o setor que mais cresceu em 2017. Com o melhor resultado da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), iniciada em 1996, segmento cresceu 13%. O desempenho foi o de mais peso no Produto Interno Bruto (PIB) de 2017 e representou 70% do crescimento da economia brasileira.

Os cultivos que mais favoreceram o resultado positivo em 2017 foram os de milho e soja. Ambos registraram crescimento expressivo – 55,2% na safra de milho e 19,4% na safra de soja, em relação a 2016. “São duas culturas muito importantes”, ressaltou a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis.

As tecnologias de plantio e colheita aliados ao preparo correto do solo e irrigação adequada são fatores que contribuem para o destacado desempenho. Muitas inovações poderão ser encontradas na AgroBrasília. Com exposição de máquinas e equipamentos modernos para preparo do solo, plantio, irrigação e colheita – a palestras e dias de campo – a grande Feira do Cerrado brasileiro contribui para o crescimento do setor.

Em 2017, a AgroBrasília movimentou R$ 710 milhões em negócios, teve 430 expositores e recebeu 99 mil visitantes. Durante a Feira, os agricultores tem acesso a tecnologias de ponta e conhecimento técnico. A disseminação de informação e a disponibilização de técnicas modernas criam condições para o setor agropecuário ter um bom desempenho econômico.  

Renda não acompanhou crescimento – segundo dados da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), houve redução estimada em 4,3% no PIB renda do agronegócio em relação ao ano anterior. O relatório do Centro de Pesquisas Econômicas (Cepea) da Esalq aponta como a baixa de preços reais como principal responsável pelo desempenho.

Serviço: em 2018, a AgroBrasília acontece entre 15 e 19 de maio. A entrada é franca.

 

Agricultura tem a maior alta na geração de empregos no DF

Dado de janeiro de 2018 faz comparação com o próprio setor em relação a dezembro

O Distrito Federal (DF) é conhecido pelo grande número de funcionários públicos e pela economia baseada, principalmente, no setor de serviços. Apesar disso, a agricultura da região mostra que, além de contribuir com alimentos saudáveis e produzidos com tecnologia de ponta, pode se superar e ser a que teve a maior taxa de crescimento percentual na geração de empregos.

Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego, o saldo foi positivo em 1,7% em janeiro, número a ser comemorado, pois historicamente a agricultura não tem taxas expressivas na geração de empregos no DF. Outros setores, como Serviços Industriais de Utilidade Pública e Comércio, tiveram redução nos postos de trabalho; -0,57% e -0,47% - respectivamente.  

Para quem é de fora da capital federal ou não a conhece, muitas vezes, tudo parece se resumir à Esplanada dos Ministérios e monumentos modernos. No entanto, essa imagem do Distrito Federal começou a mudar com a criação da AgroBrasília. A Feira Internacional dos Cerrados contribui de forma decisiva na geração de emprego e renda. Ao disponibilizar acesso a maquinários com tecnologia de ponta e espaços com demonstração de técnicas de plantio e criação eficientes, a AgroBrasília colabora para dinamizar a economia local e nacional.

Leomar Cenci, presidente da Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF), realizadora da AgroBrasília, afirma que a tecnologia é aliada na geração de emprego. ‘‘O agronegócio, no geral, vive um bom momento. No DF não é diferente e a geração de renda e emprego acontece naturalmente. Mais renda para o produtor é mais emprego no campo. E, talvez, seja um diferencial o grau de investimento, feito nos últimos anos, em tecnologia embarcada, principalmente nas máquinas e equipamentos, que gera uma demanda de mão de obra mais qualificada’’, destaca.

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Distrito Federal (Fape-DF), Joe Valle, faz avaliação semelhante. Para ele, as novas tecnologias trazidas à Feira também são oportunidades de geração de emprego e renda. ‘‘O agronegócio sempre faz a diferença nos momentos difíceis. E aqui no Distrito Federal não é diferente. É muito importante, para nossa capital, ter a AgroBrasília. Isso ajuda muito, porque a Feira traz novas tecnologias que são incorporadas pelos produtores rurais e que permitem a geração de mais renda e, consequentemente, mais postos de trabalho’’, ressalta.

Em 2017, a Feira abriu espaço para 430 expositores e recebeu 99 mil visitantes, movimentando R$ 710 milhões em volume de negócios. Em 2018, a AgroBrasília chega a sua 11ª edição e acontece entre 15 e 19 de maio. A entrada é franca.