AgroBrasília 2012

A AgroBrasília 2012 foi palco de realização de grandes negócios, de difusão das tecnologias agrícolas mais modernas do mundo e de disseminação do conhecimento. Os estandes vigorosos e a apresentação das últimas novidades do mercado mostraram a confiança dos expositores no evento. Com visitação recorde e um público cada vez mais focado e interessado nas inovações para a agricultura, a Feira ultrapassou as fronteiras do Planalto Central. Pessoas de vários lugares do Brasil e representantes políticos de todos os continentes do planeta conheceram as práticas de sucesso da agropecuária brasileira expostas no PAD-DF.

 

Este ano, foram fechados R$ 400 milhões em negócios, volume 88% superior ao de 2011. O Parque Tecnológico Ivaldo Cenci recebeu 77 mil pessoas durante os cinco dias do evento e o total de expositores chegou a 370. Além dos números impressionantes, a Feira demonstrou o amplo potencial e a credibilidade que tem com a presença maciça de instituições governamentais, organizações sociais, cooperativas, autoridades e representantes do setor agrícola.

 

O presidente da Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF), Leomar Cenci, comemorou a grandiosidade do evento. “Os expositores vieram mais motivados, com estandes mais robustos, com mais novidades pra mostrar. Os bancos atingiram suas expectativas já no segundo ou terceiro dia da Feira. Além do volume de negócios, a parte política foi um item importante. Essa era a credibilidade que precisávamos”, destacou, ao vislumbrar crescimento ainda maior nas próximas edições.

 

Várias comitivas estrangeiras visitaram a AgroBrasília 2012. Junto a isso, a presença de cooperativas do Paraguai, Uruguai e Argentina para encontros de integração produtiva com entidades brasileiras demonstrou a força internacional da Feira e a capacidade de exportação do sucesso agrícola do Brasil. “Crescemos em diversidade de tecnologias, crescemos politicamente e também socialmente. Chegamos a um nível em que podemos receber muito mais estrangeiros. Vamos buscar apoio para que isso aconteça”, garantiu Ronaldo Triacca, coordenador-geral do evento.

 

As principais instituições de apoio ao desenvolvimento rural participaram da AgroBrasília: Sudeco, IICA, Sescoop-DF, Sebrae-DF, Senar-DF e Fape-DF, além dos vários ministérios que apoiaram ações na Feira. A presença do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), com tecnologias sustentáveis para a agricultura familiar, engrandeceu ainda mais o evento. Banco do Brasil, BRB, Sicoob e Sicredi facilitaram o acesso do produtor rural ao crédito e registraram recordes de financiamentos.

 

O ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, mostrou satisfação em conhecer a capacidade agrícola e a produtividade do Distrito Federal. “Nós temos que conhecer a Brasília daqui. Eu fico muito feliz quando descubro uma Brasília que produz alimentos, que é responsável pela comida na mesa do brasileiro e do mundo”, destacou. O senador Blairo Maggi afirmou que a AgroBrasília tem o mesmo nível técnico apresentado em outras grandes feiras de negócios e tecnologias do Brasil e enalteceu a organização do evento. “Fiquei muito bem impressionado com a organização do Parque. É uma feira que demonstra a maturação da agricultura aqui no PAD-DF”, concluiu.

 

Agricultura Familiar

 

O Espaço de Valorização da Agricultura Familiar (EVAF) foi destaque mais uma vez. Foram registrados mais de 5,8 mil agricultores familiares de vários estados do Centro-Oeste, Sudeste, Norte e, principalmente, Nordeste. O público total que conheceu alguma das 13 rotas tecnológicas chega a 80 mil, pois a mesma pessoa pode ter percorrido mais de um campo demonstrativo, o que comprova a importância e o grande alcance da área organizada pela Emater-DF. “Conseguimos aumentar o número de rotas da agricultura familiar e o número de visitas, trazendo para o setor mais opção de tecnologia. A Feira deixou um legado para o Distrito Federal e região no que diz respeito às opções de negócios entre os produtores, além das inovações tecnológicas apresentadas não só pela Emater-DF, mas também pelas empresas que participaram do evento”, enfatizou José Guilherme Tollstadius Leal, presidente da entidade.

 

Para o secretário de Agricultura do DF, Lúcio Valadão, a Feira mostrou novamente a força da atividade agropecuária na região e ajudou os produtores a desenvolverem ainda mais seus trabalhos. “A AgroBrasília já consolidou o Distrito Federal como polo de inovação, conhecimento, tecnologias e negócios para todo o cerrado brasileiro”, apontou.

 

Sustentabilidade e Cooperativismo

 

Em celebração ao Ano Internacional das Cooperativas, a AgroBrasília contou com a participação de quase 50 cooperativas brasileiras distribuídas entre os pavilhões do Cooperativismo e do Rotacoop, além de cinco entidades do Mercosul. Diversas ações de intercooperação e debates marcaram a agenda cooperativista da Feira.

 

Sustentabilidade também foi tema em evidência nessa edição, com destaque para o Dia de Campo das práticas do Programa Agricultura de Baixa Emissão de Carbono. “A AgroBrasília mostrou a sua pujança e da região trazendo tecnologias e unindo a agricultura familiar e empresarial no mesmo espaço, numa vivência harmônica. A questão da sustentabilidade foi pauta em todos os estandes da Feira. Isso mostra que o avanço no processo de produção precisa vir acompanhado do desenvolvimento social e ambiental”, destacou o deputado distrital Joe Valle.

 

Máquinas

 

Pela primeira vez, a AgroBrasília recebeu o apoio da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) e do Sindicato de Máquinas e Implementos Agrícolas no Rio Grande do Sul (Simers), duas das maiores e mais importantes instituições representativas do setor no país. Oito empresas gaúchas marcaram presença na Feira.