ptenes

 Baixe o aplicativo da AgroBrasília:

 

Dia de Campo da Banana reúne 90 agricultores no assentamento Contagem

A Emater-DF realizou o Dia de Campo da Banana, no assentamento Contagem (região administrativa de Sobradinho II). O evento reuniu cerca de 90 agricultores da comunidade. Em cinco estações, os participantes puderam aprofundar os conhecimentos sobre técnicas de plantio, gestão da propriedade e comercialização desta fruta, que é a segunda mais consumida no país e tem um grande mercado consumidor em Brasília. A atividade foi organizada pela equipe do escritório da empresa em Sobradinho.

O produtor Fábio Luiz Valença, proprietário da chácara onde ocorreu o Dia de Campo, planta banana-prata há cerca de três anos. “Estamos cultivando a espécie ‘anã’, que tem mais aceitação no mercado”, explica o agricultor, que faz entregas para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). A meta, agora, é montar uma associação com os empreendedores da comunidade. 

A maioria da banana consumida em Brasília — uma estimativa de 200 toneladas por dia — vem da Bahia, Minas Gerais e São Paulo. “A produção aqui ainda é pequena. Se conseguirmos incentivar o produtor a investir nessa atividade, o espaço para ele crescer é grande, o que vai aquecer a economia local e trazer mais renda e qualidade de vida para as famílias do campo”, explica o engenheiro agrônomo Marcelo Ruas, da Emater-DF em Sobradinho, que atende à chácara de Fábio.

Metodologia

O Dia de Campo é uma das metodologias mais tradicionais da extensão rural. Bastante didático e prático, o evento geralmente ocorre em uma propriedade que seja modelo de uma produção ou tecnologia específica. Na atividade dedicada à banana, foram cinco estações: implantação do cultivo da banana; irrigação; manejo de pragas; boas práticas agropecuárias; e comercialização e gestão da produção.

Durante o evento, houve degustação de pratos à base de banana, como doces, bolos e saborosos chips da fruta frita.

 

Fonte: Emater-DF

Dia de Campo da Competição de Cultivares reúne mais de 400 pessoas

Evento que marca os preparativos para a AgroBrasília apresentou variedades de soja

A Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF) e a AgroBrasília, em parceria com a Emater-DF, realizaram seu tradicional Dia de Campo da Competição de Cultivares de Soja. O evento levou mais de 400 pessoas ao campo demonstrativo, no PAD-DF, e reuniu empresas, autoridades, técnicos agrícolas, estudantes, profissionais do setor e produtores da região.

O evento superou as expectativas e oportunizou apresentar novas cultivares de soja com altos índices de qualidade. Foram apresentados, no total, 67 materiais cultivados num espaço de mil metros quadrados cada, sendo 51 cultivares de soja IPRO e 16 cultivares de soja RR.

No evento, estiveram reunidas importantes empresas do agronegócio, que apresentaram tudo o que há de mais novo no quesito tecnologia, qualidade e desenvolvimento da semente de soja. Dezoito empresas de sementes e três empresas de insumos participaram do Dia de Campo.

A Competição de Cultivares, evento tradicional da AgroBrasilia, é a oportunidade de apresentar materiais de qualidade que se adaptam ao clima e ao solo da região do Planalto Central. “O produtor participa do evento, vê todos os materiais e seu desempenho no campo e, na AgroBrasília, divulgamos os resultados. Isso serve como ferramenta para a tomada de decisões, além de planejamento do próximo plantio”, avalia Ronaldo Triacca, coordenador-geral da AgroBrasília.

O Dia de Campo é o momento oportuno para os produtores rurais observarem cultivares plantadas na mesma data, com a mesma adubação e mesmo manejo, o que garante a isonomia da Competição.

Segundo Leomar Cenci, presidente da Coopa-DF, o objetivo da Competição é levar tecnologia ao produtor. “A Cooperativa não tem nenhum interesse comercial com o evento, o que a gente busca, realmente, são variedades que possam atender ao produtor rural e que faça com que ele produza cada vez mais”, afirma.

Participação assídua de empresas e visitantes

Desde o ano passado, o evento isenta as empresas de taxas, o que garante, cada vez mais, maior participação por parte das empresas de agronegócio.

Para Carlos Vítor, coordenador da Competição, a forma como é conduzida garante os constantes bons resultados do evento: “o mesmo tratamento dado a uma empresa, é igualmente dado às outras. As cultivares de todas as empresas são igualmente bem plantadas e conduzidas, não tem privilégio, isso é importante para que o evento tenha sucesso”, comenta.

“É um evento tradicional da macrorregião do Planalto Central e é muito importante, não só para a AgroBrasília, mas para todos os produtores rurais. Fazemos um trabalho sério, onde as empresas participam com seus materiais tradicionais, já plantados pelos produtores, além de seus lançamentos”, avalia Triacca.

Já para os produtores, o evento é de extrema importância. “A cada ano surgem novos desafios nos quesitos tempo, clima, doenças e pragas, então, por isso, é muito interessante observar o que está sendo desenvolvido no campo. Esse evento favorece muito nosso trabalho”, afirma Raimundo Sauer, agropecuarista em Unaí (MG).

As empresas consideram o evento como de grande importância e repercussão na região do Planalto Central: “um público grande circula aqui. Isso é importante para qualquer empresa que está expondo seus produtos, pois há uma difusão muito grande, num curto intervalo de tempo, onde a empresa pode apresentar seus materiais de forma efetiva para seu público alvo”, pontua Bruno Ferreira, representante de licenciamento da Nidera Sementes.

Resultados apresentados no primeiro dia da Feira

Em 2018, patrocinam o Dia de Campo e são parcerias do evento as empresas Dimiagro Fertilizantes, Koppert do Brasil e Yara Brasil. As dezoito empresas participantes foram: Advanta, Agroeste, Bayer, Coodetec, Coopadap, Dimiagro, Dois Marcos, Dow Agrociences, Embrapa, FT, Guaia, Koppert, KWS, Limagrain, Macro Seed, Nidera, Syngenta e Tec Agro.

O Dia de Campo foi uma mostra prévia dos resultados da Competição, que serão divulgados no primeiro dia da AgroBrasília que, neste ano, será realizada de 15 a 19 de maio.

Assessoria de Imprensa:

Vincere Associados

Isabella R. Cantarino - (61) 3019-1258 / (61) 98347-2500

Produtores rurais do Gama recebem patrulha de mecanização agrícola

Para fomentar a produção de pequenos agricultores na Ponte Alta do Gama, os titulares da Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural e da Administração Regional do Gama assinaram, neste sábado (17), termo de cessão de uso de patrulha de mecanização agrícola. 

“Fico muito feliz de estar equipando a administração com tratores e implementos agrícolas que apoiarão os produtores rurais do Gama, principalmente os pequenos”, ressaltou o governador Rodrigo Rollemberg, que assinou o documento como testemunha. 

“Sabemos da importância da área rural para manter a qualidade de vida da área urbana. A cidade não pode viver sem o campo. Porque é do campo que vêm os alimentos”, reforçou o chefe do Executivo. 

Fornecida pela Secretaria da Agricultura, a patrulha de mecanização agrícola tem custo total de R$ 160.747 e é composta por 8 itens: 

Trator agrícola
Arado reversível
Grade aradora
Distribuidor de calcário e fertilizante
Rotocanteirador
Plantadeira adubadeira tipo hidráulica
Carreta agrícola
Subsolador


O objetivo da cessão é fomentar a produção e a comercialização de produtos agrícolas, não agrícolas e agroindustrializados da região. 

 

De acordo com o secretário da Agricultura, Argileu Martins, essa é uma forma de dar dinamismo ao equipamento da pasta e ajudar a aumentar a produção local. 

 

“Cedendo a patrulha para a administração, nós estamos contribuindo para o aumento da área plantada e da produção dos mais de 600 hectares de milho e dos mais de 300 hectares de feijão da região. O Gama ainda produz mais de 10% do leite do DF”, afirmou o secretário.

 

O cronograma de uso será definido em conjunto

 

O cronograma de uso da patrulha de mecanização agrícola será definido em conjunto entre a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF), a administração do Gama e o conselho rural da região. O contrato terá vigência até janeiro de 2020. 

“Esse maquinário vai servir para os pequenos produtores daqui que não têm condições financeiras”, disse o presidente da Associação dos Moradores e Produtores da Ponte Alta do Gama, Antônio Francisco Costa.

 

Fonte: Agência Brasília

UPL e Advanta participam do Pulse Day em Cristalina (GO)

UPL e Advanta participam em conjunto com a realização da IBRAFE, Estação Experimental RC, Sementes Aliança S.A

Com apoio institucional do IAC, Embrapa do Dia de Campo - Pulse Day, que acontece em Goiás no dia 24 de fevereiro, tem como principal objetivo reunir pesquisadores, produtores envolvidos na produção de pulses e colocando o Brasil inserido na cultura e produção mundial de Pulses.

Com o crescimento do mercado produtor de Pulses no Brasil, e com o aumento do cultivo e consumo de novas variedades de feijões, lentilhas e grão de bico, que já está presente nos mercados internacionais como a Índia e que vem ganhando espaço nas regiões brasileiras, amplia-se a visão para a rentabilidade que pode vir desse mercado e todo seu potencial para o agronegócio. Diante disso, o Pulse Day terá a realização de palestras com o foco na disseminação da cultura e discussão do tema sob a ótica da tecnologia, manejo eficiente, comercialização e encerrando com uma visita guiada em plantação com variedades de pulses.

“Mas, o que são pulses afinal? Pulses são sementes secas e comestíveis da família das leguminosas. Alimento rico em proteína. São elas: ervilhas, grãos-de-bico, lentilhas e feijões”, explica Wagner Seara, Gerente de Marketing de Tratamento de Sementes da UPL.

Nesse cenário e vislumbrando esse futuro, a UPL e a Advanta, que são empresas da multinacional Indiana UPL Global, visando permitir que o Brasil possa entrar nesse mercado, começaram uma série de pesquisas para o Programa Pulses com a Embrapa, que estão acontecendo desde o início do ano nas regiões: Brasília/DF, Cristalina/GO, Montes Claros/MG, Patos de Minas/MG, Primavera do Leste/MT, Dourados/MS, Coxilha/RS e Vacaria/RS, onde estão testando as adaptabilidades de quatro tipos de leguminosas importadas da Índia, dentre elas duas variedades de grão-de-bico, duas de lentilha e, em breve, iniciará mais duas para feijão mungo e duas para feijão guandú, denominados como pulses.

“O Projeto ainda está no início, existem muitas avaliações e testes que precisam ser realizados antes de concluirmos e possibilitarmos que os produtores que quiserem, possam começar a produzir”, explica Gustavo Hidalgo, Gerente de Desenvolvimento Tecnológico da Advanta Sementes. O programa Pulses poderá em um futuro próximo representar uma das culturas a ser realizada como complemento entre os cultivos que ocorrem do verão ao inverno para soja, milho, algodão, arroz e trigo. “E por isso, será uma excelente oportunidade de alternativa de mercado para produtores”, finaliza Seara.

SERVIÇO

LOCAL: Fazenda Esmeralda (Adriano Cruz), localizada na BR 050, Km136 (à direita), sentido Catalão – CRISTALINA – GOIÁS.

DATA: 24/02/18

HORÁRIO: 7h30 às 12h30

SOBRE A UPL

A indiana UPL é uma empresa global que traz soluções inovadoras e sustentáveis em proteção de cultivos para o agricultor. Fundada em 1969, a companhia atua hoje em mais de 86 países com 28 fábricas que desenvolvem, fabricam, formulam e comercializam produtos da mais alta qualidade, segurança e tecnologia.

No Brasil, com 12 anos de atuação, a empresa está entre as maiores do segmento com faturamento global de mais de US$ 2 bilhões e ações na Bolsa de Mumbai. A indiana conta com fábrica e estação experimental em Ituverava-SP e foi eleita por dois anos consecutivos como a melhor empresa para se trabalhar pela Great Place to Work® em parceria com a Revista Época. Por meio de seu trabalho com produtores e pesquisadores para encontrar soluções mais eficientes para campo e através de novas formulações e produtos, equipe especializada e expansão de portfólio, conta com forte presença nos mercados de soja, milho, cana-de-açúcar, arroz, café, feijão, citros, algodão, pastagem e hortifrúti.

SOBRE ADVANTA

Advanta Sementes é uma empresa multinacional com sede em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. Com presença global, é líder mundial em Sorgo. Além disso, ocupa posição de liderança em milho tropical, girassol e canola. Com foco nas demandas regionais, a Advanta investe constantemente no desenvolvimento de tecnologias e soluções modernas que contribuam para que o agricultor possa aumentar a sua produtividade e rentabilidade e beneficiar toda a população mundial.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Produção de algodão está estimada em 1,79 milhão de toneladas para a temporada 2017/18

A posição firme de cotonicultores e tradings tem elevado o preço da pluma desde o início deste mês, de acordo com informações do Cepea. Entre 31 de janeiro e 14 de fevereiro, o Indicador do algodão CEPEA/ESALQ, com pagamento em 8 dias, subiu 0,5%, fechando a R$ 2,7674/lp ontem.

Porém, nesta Quarta-feira de Cinzas, com muitos agentes fora de mercado e a consequente baixa liquidez, o algodão se desvalorizou.

A Conab indicou, em relatório divulgado no dia 8 de fevereiro, que a área a ser semeada na safra 2017/18, projetada em 1,05 milhão em janeiro, passou para 1,102 milhão de hectares, aumento de 17,4% frente à temporada 2016/17.

Ainda que a produtividade esperada, de 1.623 kg/ha, seja 0,04% menor que a da safra anterior, a produção está estimada em 1,79 milhão de toneladas para a temporada 2017/18, elevação de 17% frente à passada e 5% acima dos dados de janeiro.

Fonte: Cepea

Subcategorias

Revista Oficial

Jornal Oficial

Patrocínio

 

Patrocinador Master